FILE Machinima 2014

FILE-SP-2014-64-770x513 videos-9 FILE-SP-2014-49-770x259

File Machinima 2014: Além dos limites

O FILE Maquinema 2014 (machinima) apresenta uma seleção de filmes experimentais que exploram limites. Esta ação não se dá apenas quando os contornos de domínios abstratos são percorridos, mas quando realizamos uma exploração mais pormenorizada, a qual possibilita novas combinações entre os domínios antes separados. Concretamente, podemos pensar uma analogia com o olhar. O olho nu distraído percebe o mundo de uma maneira, enquanto que um olhar mais detalhado leva à expansão do campo visual inicial. Isso resulta na ampliação da percepção dos elementos já existentes, possibilitando outras visualidades. Com isso, verificamos que os limites são mais fluidos do que podem parecer à primeira vista, como a efêmera passagem do dia para a noite e vice-versa ou ainda o interstício do fade in e fade out em cinema. Tendo isso em vista, os filmes desta exposição abordam essa exploração dos limites como um elemento que permeia a sua temática ou como uma questão que envolve a técnica usada na sua constituição. São experiências visuais que se baseiam na constituição dos ambientes virtuais, na diferença entre eles e o mundo físico, nas margens que separam o consciente do inconsciente e no diversificado leque de formas expressivas audiovisuais.

Em “[borders:la rocca]”, por exemplo, acompanhamos uma caminhada realizada pelas bordas de reconstruções históricas do mundo físico em um ambiente virtual. Nessa jornada, as qualidades da imagem digital são expostas, bem como as distorções e os erros na sua formação. Isso evidencia a diferença entre esse ambiente e o mundo em que vivemos. Por outro lado, em “Hyper Timelapse GTA5 (Crossroad of Realities)”, os limites entre o físico e o virtual são abrandados pela justaposição de ambas as imagens. Com isso, o artista deseja enfatizar que os ambientes virtuais devem ser abordados com a mesma sensibilidade que o mundo físico. Outra proposta que confirma essa proposição é “Aspect”. Neste filme, acompanhamos a sombra de um soldado armado que caminha em uma paisagem campestre. Como pano de fundo, um texto de “O homem e seus símbolos”, de Jung, é proferido em off. Trata-se de uma reflexão sobre o homem e suas sombras, em que se busca reconhecer que as ações que realizamos nos mundos dos jogos refletem as inclinações mais obscuras dentro de nós mesmos. Assim como em “Hyper Timelapse GTA5 (Crossroad of Realities)”, “Aspect” mostra que o virtual e o físico estão mais imbricados do que a superfície demonstra e que as nossas ações em ambas as instâncias refletem igualmente quem somos. Essa imbricação entre o virtual e o físico destacada nesses dois filmes diluí os limites entre as aparentes dicotomias que são apresentadas entre as tecnologias e os humanos. Isso porque ela enfatiza que a exploração desses limites pode levar a um novo entendimento de nós mesmos.

Assim, além da reflexão específica sobre o virtual e o físico, esta exposição aborda a forma que lidamos com os limites de uma maneira mais ampla. Em termos de expressão audiovisual, os filmes apresentados pelo FILE Maquinema 2014 mostram complexas combinações através da exploração dos meios de comunicação fílmicos disponíveis em nosso tempo. “The Infinite Walk”, por exemplo, é um machinima interativo. Através dos comandos de jogos, o espectador tem uma experiência sensorial, em que o corpo de um avatar é desconstruído durante uma caminhada. Outro exemplo é “Knightshift”. Esse filme parece uma intervenção em um jogo de 16 bits, mas resulta da alteração de uma antiga animação sob a inspiração de histórias de cavalaria. Em ambos os casos, os filmes constituem propostas geradas com a convergência de mais de um meio audiovisual. Assim como nos demais filmes do FILE Maquinema 2014, aqui, os limites entre cinema, vídeo, machinima, jogos e animação são tênues.

 

FILE Machinima 2014: Beyond The Limits

FILE Machinima 2014 presents a selection of experimental films that explores limits. This action does not occur when the outlines of abstract domains are traversed, but when we perform a more detailed exploration, which allows new combinations among the previously separated domains. Namely, we can think of an analogy with the sight. The distracted naked eye perceives the world in a way, while a closer look leads to the expansion of the initial visual field. This results in the amplification of the awareness of existing elements, making possible other visualities. Thus, we find that the limits are more fluid than they might appear at first sight, as the fleeting passage from day to night and back, or yet the interstitium of fade in and fade out in films. With this in mind, the films of this exposition address this exploration of limits as an element that pervades its themes or as a question involving the techniques used in its constitution. They are visual experiences that are based in the constitution of virtual environments, in the difference between them and the physical world, in the margins separating the conscious from the unconscious, and in the diverse range of audiovisual expressive forms.

In “[borders:la rocca]”, for example, we follow a walk held in the boundaries of historical reconstructions of the physical world in a virtual environment. In this journey, the qualities of the digital imagery are exposed, as the distortions and mistakes in its formation. This highlights the difference between this environment and the world where live. On the other hand, in “Hyper Timelapse GTA5 (Crossroads of Realities)” the limits between physical and virtual are softened by the juxtaposition of both images. With this the artist wants to emphasize that the virtual environments must be approached with the same sensitivity as the physical world. Another proposal that confirms this proposition is “Aspect”. In this film, we follow the shadow of an armed soldier who walks through a bucolic landscape. As a background, a text from “Man and His Symbols”, by Jung, is recited in off. This is a reflection about man and his shadows, seeking to recognize that the actions we perform in game worlds reflect the darkest inclinations inside ourselves. As in “Hyper Timelapse GTA5 (Crossroad of Realities)”, “Aspect” shows that the virtual and the physical are more intertwined than at first sight, and that our actions in both instances also reflect who we are. The intertwining between the virtual and the physical highlighted in both films dilute the limits between the apparent dichotomies that are presented among the technologies and the humans. That is because it emphasizes that the exploitation of such limits can lead to a new understanding of ourselves.

Thus, in addition to the specific reflection about the virtual and the physical, this exposition addresses the way we deal with the limits in a broader way. In terms of audiovisual expression, the films presented by FILE Machinima 2014 show complex combinations through the exploration of filmic media available in our time. “The Infinite Walk”, for example, is an interactive machinima. Through the gaming commands, the viewer has a sensorial experience where the body of an avatar is deconstructed during a walk. Another example is “Knightshift”. This film seems to be an intervention in a 16 bits game, but results from the alteration of an old animation inspired by chivalry stories. In both cases, the films are proposals generated by the convergence of more than one audiovisual medium. Like other films in FILE Machinima 2014, here, the limits among cinema, video, machinima, games and animation are blurred.

 

Obras | Works

Anita Fontaine – Knightshift

Baden Pailthorpe – Cadence I

Benoit Paillé – Hyper Timelapse GTA5 (Crossroad of Realities)

Ip Yuk Yiu – The Plastic Garden

Jairo Gutiérrez Feut – The Infinite Walk

Kent Sheely – Aspect

Luis Hernandez Galvan – …And Everything He Touched Was Turned Into Gold…

Marco Cadioli – Google Error

Marco Cadioli – Over Data

Marco Mendeni – r_lightTweakSunlight

Marco Mendeni – r_lightTweakSunlight_Drone

Mary Flanagan – [borders:la rocca]

Victor Morales – Mad as Hell

Victor Morales – Venus: The Bringer of Peace

 

Catálogo | Catalog

sp-2014

FILE SP 2014: No rastro digital Download

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s